Seja bem-vindo, visitante

Olá, Visitante. Chegou aqui, vindo sei lá de onde, quiçá cansado de tantas caminhadas e descaminhos. Pois bem, sente-se, relaxe e leia algumas destas coisinhas, vai ver que fica melhor... Um abraço da Felipa

terça-feira, 29 de novembro de 2011

29º Dia de Caminhada pelas Almas


Na minha terra está muito enraizado o costume de desagravar as almas do purgatório.
Quando morre alguém, os seus familiares oferecem esmolas na missa de 7º dia, normalmente pão.
São pães redondos ou compridos, grandes, que se chamam bôlas.

Também se oferecem “santinhos” de lembrança. Os santinhos são estampas com imagens religiosas, tendo no interior: de um lado a foto, nome, idade do falecido e a data do falecimento e do outro um salmo, pensamento ou oração.
Dantes ofereciam-se os santinhos na missa de 7º dia mas agora é no velório e funeral.


Os funerais são muito participados, há quem vá a todos e muitas vezes nem sequer conhecia o defunto.
Todos os dias se celebram missas pelas almas e em dias de aniversário da morte também há quem dê outra vez esmolas de pão.
E a propósito, lembro um episódio que aconteceu há alguns anos: no 1º aniversário da morte da minha mãe oferecemos bôlas, no início e final da missa. Como sobraram algumas fomos distribui-las por algumas pessoas. E eu fui levar uma a um velhinho, que tinha a mulher acamada e ao qual eu também tinha levado uma um ano antes.
Era já noite, apesar de pouco passar das 19 horas, e eu bati ao portão. Ele veio abrir e eu disse ao que ia: levar bôlas por alma da minha mãe, que fazia um ano de falecida. E ele respondeu:
- Faz sim, moça, e podes não acreditar mas eu estava neste momento a rezar por ela. Tenho o santinho dela em cima da mesinha de cabeceira e estava neste momento a fazer as minhas orações da noite, nas quais a incluo desde o seu falecimento.
E este velhinho não a conhecia, mas tinha ficado agradecido pelo santinho. Naquele tempo (há 13 anos) ainda não era muito vulgar a oferta de santinhos.
Quando eu era pequena davam-se esmolas em dinheiro (moedas) em vez de pão, nas missas de 7º dia. E a minha avó, com quem eu ia à missa, não me deixava ficar com esse dinheiro, deitávamo-lo na caixa de esmolas às almas do Purgatório, neste altar:



E outra coisa importante: antigamente, e as pessoas de mais idade ainda o fazem, não se dizia “por favor” nem “obrigado”: pedia-se um favor “pelas almas” e dizia-se “seja pelas almas” a agradecer.
E, ainda hoje, quando se quer um favor muito grande pede-se "pelas almas que lá tens" ou "por alma de tua mãe" (ou pai, etc). Quem tem coragem de recusar um favor pedido desta maneira?

Amanhã terminaremos mais uma caminhada pelas nossas irmãs, as Almas do Purgatório, com a nossa amiga Imaculada.

Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso, entre os esplendores da luz perpétua.
Que descansem em paz.
Ámen.

7 comentários:

Dulce disse...

Olá Felipa
Estamos na reta final e "devorei" esta partilha com os olhos curiosos. A primeira coisa que me apraz dizer é: Somos de um País tão pequeno e ainda assim tão diferentes das suas gentes e costumes.
Bonita e benéfica para as almas essa entrega de oração e contributos pela sua salvação.

Mais uma caminhada à beira do fim e agradeço à Felipa pelo facto de estar sempre connosco de forma atenta e amiga.
Um beijinho muito grande e se Deus quiser, teremos muitas mais caminhadas para encetar

✿ chica disse...

Mais um belo passo dessa caminhada...beijos,lindo dia,chica

Maria Luiza disse...

Felipa, tinha que ser você a nos dar a conhecer tão precioso costume. Li com muito gosto e achei interessantíssimo esss costumes de sua terra. Bacana, mesmo! Parabéns, amiga!Bjbjbj!!!

Imac by Artes disse...

Felipa querida!
Que bela partilha...
Costumes importantes que precisam ser preservados. Estou feliz por estar nessa caminhada com vocês.
Abraços! Um dia abençoado pra ti.

Ailime disse...

Amiga Felipa boa tarde,
Acabei de ler de um fôlego tudo o que de extraordinário aqui partilha connosco.
Sublime.
Desconhecia completamente a oferta das bolas!
As expressões, embora eu seja natural do centro do país, também eram usadas pelas pessoas mais idosas na minha aldeia assim como as esmolas para as Almas do Purgatório.
Espantoso aquele sinal que nos relata de quando foi oferecer a bola ao senhor que rezava pela sua Mãe.
Fiquei comovida e só tenho que lhe agradecer tudo o que me ensinou e me ajudou a entender melhor o quanto é importante rezarmos pelas Almas do Purgatório.
Que os que partiram estejam na Paz do Senhor e que Deus tenha piedade de todos nós.
Para sim um grande beijinho e mais um a vez o meu bem-haja pela caminhada conjunta e por esta prestação tão valiosa.
Todas as bênções de Deus para si.
Ailime

Marili Alves disse...

Olá Felipa, que bela partilha, eu desconhecia, que bom poder fazer parte desta caminhada juntas.
Deus te abençõe!

Utilia Ferrão disse...

Olá amiga
Estamos mesmo no fim e eu quero agradecer-te
Foi linda esta partilha.
Ontem estive com alguém meu familiar que nos deixou.
A minha sogra.
Não consegui publicar mais cedo.
Beijinhos e quero agradecer mais uma vez a boa companheira que foste durante todas estas caminhadas.
Utilia Ferrão
Beijinhos Utilia Ferrão