Seja bem-vindo, visitante

Olá, Visitante. Chegou aqui, vindo sei lá de onde, quiçá cansado de tantas caminhadas e descaminhos. Pois bem, sente-se, relaxe e leia algumas destas coisinhas, vai ver que fica melhor... Um abraço da Felipa

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

São Gonçalo de Amarante


São Gonçalo é o santo português que, sobretudo no Norte de Portugal, goza da maior devoção, logo depois de Santo António de Lisboa. Na sua História Eclesiástica de Portugal, o Padre Miguel de Oliveira diz apenas o seguinte: «S. Gonçalo de Amarante que se supõe falecido a 10 de Janeiro de 1259; o seu culto foi permitido pelo Papa Júlio III (24 de Abril de 1551) e confirmado por Pio IV (1561); Clemente X estendeu o ofício e a Missa a toda a Ordem dominicana (1671)».

Terá sido São Gonçalo uma invenção posta ao serviço de uma qualquer ideia ou propósito, ou podemos perceber o percurso da sua devoção ou do seu culto? O mais antigo documento que se refere a São Gonçalo, é um testamento de 18 de Maio de 1279 em que uma tal Maria Johannis lega os seus bens à Igreja de São Gonçalo de Amarante. Quer dizer, uns 20 anos depois da morte de São Gonçalo existia uma igreja dita «de São Gonçalo de Amarante». E há outros documentos... e escritos sobre a figura de São Gonçalo e o seu culto.

Na biografia oficial de São Gonçalo, apresentada como tal a partir do Flos Sanctorum de 1513, não há dúvidas: Gonçalo, nasceu em Tagilde, estudou rudimentos com um devoto sacerdote e frequentou depois a escola arqui-episcopal de Braga. Ordenado sacerdote foi nomeado pároco de São Paio de Vizela. Depois foi a Roma e Jerusalém; no seu regresso vendo-se desapossado do seu benefício prosseguiu um caminho de busca interior já anteriormente encetado, depois foi a experiência da vida eremítica, a pregação popular..., e logo caiu na ambiência mendicante da época, após o que se faria dominicano...

As coisas não são assim tão lineares. De qualquer modo, tenha sido padre diocesano, cónego de Santa Maria em Guimarães, beneditino ou dominicano, tenha - quase por certo - passado de uma a outra condição, nenhuma destas hipóteses esbate a riqueza e o vigor da sua figura.
Oração: Senhor, que manifestastes as vossas maravilhas no coração de bem-aventurado Gonçalo de Amarante, inflamado no amor do vosso nome, concedei-nos que, à sua imitação, tenhamos sempre o pensamento em Vós e façamos fervorosamente o que Vos é agradável. Por nosso Senhor.

(Recebi este texto por e-mail. A foto é minha, tirada a uma imagem de São Gonçalo que se enontrava na montra de uma padaria, em Amarante. A igreja estava fechada quando por lá andei em passeio, mas mesmo assim o santo quis que eu o encontrasse e trouxesse comigo...)

2 comentários:

Maria Luiza disse...

Felipa,querida, bonito post de São Gonçalo e o que mais achei de interssante foi vc falar que a igreja estava fechada, mas mesmo assim o santo quis que vc o encontrasse e o trouxesse consigo. E é mesmo, Felipa. Podes crer, nada é por acaso! Ah! estou te achando friinha nos comentários. Está acontecendo alguma coisa? Gosto muito de ti e preocupo-me, viu? Beijão!

Felipa disse...

Minha querida Maria Luiza, obrigada pelo comentário e peço imensa desculpa se por acaso pareço fria nos comentários que faço. É que tenho andado muito ocupada, mas como não quero deixar de visitar os amigos e gosto de comentar o que leio, escrevo por vezes apenas uma breve frase por não ter tempo para mais. E a ligação por vezes é tão lenta que me aborrece, mas não se passa nada comigo, graças a Deus.
Obrigada pela preocupação
Beijo grande