Seja bem-vindo, visitante

Olá, Visitante. Chegou aqui, vindo sei lá de onde, quiçá cansado de tantas caminhadas e descaminhos. Pois bem, sente-se, relaxe e leia algumas destas coisinhas, vai ver que fica melhor... Um abraço da Felipa

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Oração para o mar devolver um corpo


Ontem celebrou-se uma missa pelos dois jovens pescadores, irmãos, desaparecidos no mar há duas semanas. Os corpos ainda não apareceram.

O padre apelou à Senhora dos Navegantes para que alivíe a dor dos familiares, embora não tenha mencionado o facto de os corpos não terem aparecido, talvez para não aumentar essa mesma dor.

Hoje lembrei-me desta oração/poema que me foi ditada há uns anos por uma pessoa idosa e resolvi colocá-la aqui. É de uma dor impressionante.

Súplica ao mar

Ó ondas do mar irado
Com fúria vos lançastes
E numa negra noite roubastes
O meu filho idolatrado.

Agora que estais em calma
Que está sossegado o vento
Trazei-me neste momento
O filho da minha alma.

Ó mar, tu és compassivo
Dá-me o último conforto
Levaste o meu filho vivo
Traze-me o meu filho morto.

(Obtido através de recolha popular, desconheço o autor)

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Os presentes que recebi este Natal


Este quadro foi um dos presentes que recebi este Natal. Mais um presépio para a minha colecção.



Estes são os meus chocolates preferidos: os Imperador, da Avianense. Foi também um presente que recebi, mas o que mais apreciei foi a caixa em forma de livro (aliás, trazia tão poucos chocolates que ainda bem que sou apreciadora de caixas). Mas gostei muito do presente no seu conjunto.




Estes são alguns dos presentes que recebi. Há outros, mas esses não lhes tirei fotografia: é que moro numa aldeia e as pessoas oferecem do que têm (recebi um congro de 3 ou 4 kg, dois polvos grandes, um saco de batatas, vinho, kivis, marmelada caseira, açúcar, arroz, arroz-doce, couves e ovos). Recebi também Vinho do Porto e um kg de chocolate Avianense.
Agradeço a todos.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Ó meu Menino Jesus

Ó meu Menino Jesus
Que trago no coração
Vinde dormir em minh'alma
Descansar na minha mão.

Ó meu Menino Jesus
Nas palhinhas em Belém
Vinde dormir em minh'alma
E enchei-a de luz e bem.

Ó meu Menino Jesus
Numas palhinhas deitado
Nascestes numa lapinha
Descansastes entre o gado.

Ó meu Menino Jesus
Onde estais neste momento
Numas palhinhas deitado
Dentro do meu pensamento.

(Felipa Monteverde)

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

É NATAL!



A todos os meus familiares, amigos, simples conhecidos ou meros desconhecidos e até aos meus inimigos (é Natal!) desejo um Feliz Natal.
Que todos tenham paz, saúde e alegria neste santo dia e santa noite em que nasceu o Salvador do Mundo.

FELIZ ANIVERSÁRIO, MENINO JESUS!

sábado, 19 de dezembro de 2009

Aquela janela virada pro mar

Cem anos que eu viva não posso esquecer-me
Daquele navio que eu vi naufragar
Na boca da Barra tentando perder-me
E aquela janela virada pro mar

Sei lá quantas vezes desci esse Tejo
E fui p´lo mar fora com a alma a sangrar
Levando na ideia uns lábios que invejo
E aquela janela virada pro mar

Marinheiro do Mar Alto
Quando as vagas uma a uma
Prepararem-te um assalto
P´ra fazer teu barco em espuma

Repara na quilha bailando na crista
Das vagas gigantes que o querem tragar
Se não tens cautela não pões mais a vista
Naquela janela virada pro mar

Se mais ainda houvesse mais fortes correra
Lembrando-me em noites de meigo luar
De uns olhos gaiatos que estavam à espera
Naquela janela virada pro mar

Mas quis o destino que o meu mastodonte
Já velho e cansado viesse encalhar
Na boca da barra e mesmo defronte
Naquela janela virada pro mar

Marinheiro do mar alto
Olha as vagas uma a uma
Preparando-te um assalto
Entre montes de alva espuma

Por mais que elas bailem numa louca orgia
Não trazem desejos de me torturar
Como aquela doida que eu deixei um dia
Naquela janela virada pro mar

(Frederico de Brito)

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Naufrágio em Viana do Castelo - a imagem da dor



Foto de Sérgio Freitas/JN, retirada de:
http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Viana%20do%20Castelo&Concelho=Viana%20do%20Castelo&Option=Interior&content_id=1449857

O irmão mais novo dos dois desaparecidos, de 23 anos, acompanhado de uma familiar com as fotos dos dois irmãos: de cabelo comprido o Gilberto, de 32 anos, e de cabelo curto o Amâncio, de 30.

Kyrie

Em nome dos que choram,
Dos que sofrem,
Dos que acendem na noite o facho da revolta
E que de noite morrem,
Com esperança nos olhos e arames em volta.
Em nome dos que sonham com palavras
De amor e paz que nunca foram ditas,
Em nome dos que rezam em silêncio
E falam em silêncio
E estendem em silêncio as duas mãos aflitas.
Em nome dos que pedem em segredo
A esmola que os humilha e os destrói
E devoram as lágrimas e o medo
Quando a fome lhes dói.
Em nome dos que dormem ao relento
Numa cama de chuva com lençóis de vento
O sono da miséria, terrível e profundo.
Em nome dos teus filhos que esqueceste,
Filho de Deus que nunca mais nasceste,
Volta outra vez ao mundo!

(José Carlos Ary dos Santos)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

As ondas do mar são brancas...

As ondas do mar são brancas
No centro são amarelas
Ai da mãe que cria um filho
Para andar no meio delas...
(quadra popupar)



Se não há palavras de consolo para quem perde um filho no mar, o que dizer a quem perde dois?
Para essa mãe desventurada vão todos os meus silêncios e orações.
Dos seus filhos fica a lembrança: Gilberto, o bem-disposto e alegre; Amâncio, o reservado, corajoso, trabalhador...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Reciclagens

Estes são os cartões que fiz para enviar este
Natal, com cartolina, recortes de revistas e alguns auto-colantes.
Costumo fazer os cartões que envio, ou então compro os de associações que vendem este tipo de artigo nesta altura do ano para angariação de fundos.

Também costumo reciclar o papel de embrulhar os presentes, quer reutilizando-o para fazer embrulhos como recortando os que tiverem imagens bonitas para fazer os postais.
Acho um desperdício desnecessário deitar fora o papel de embrulho; basta que se tenha cuidado ao desembrulhar os presentes e consegue-se reaproveitá-lo. E dá mais suspense desembrulhar os presentes cuidadosamente do que rasgar o papel todo rapidamente...

sábado, 12 de dezembro de 2009

Incentivos

Há incentivos que desencadeiam sonhos
Através de desafios e conquistas consequentes
E há palavras que dão vida a esses sonhos
Através de esperanças conquistadas ao sonhá-los.

Sonhos que de tão sonhados se inovam
Com aspectos impensáveis tornados inconfessáveis
E há gestos que incentivam e se buscam
Quando um sonho se transforma em ideal a alcançar…

(Felipa Monteverde)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Era Natal

Era uma noite gelada
era uma noite tão fria
e o pobrezinho saudoso
do calorzinho do dia.

Havia fogos acesos
em lareiras, em cozinhas
e o pobrezinho gemendo
ia na rua, tremendo
de tanto frio que tinha.

E era Natal.
As luzinhas nas janelas
imitavam as estrelas
e os pinheirinhos tão belos
anfitriões de castelos
arrogavam a pobreza
de quem nada tem à mesa
e cintilavam dolentes.

E era Natal.
Era Natal pelas casas
onde havia boas brasas
em lareiras, em fogueiras
e a alegria das prendas
e as toalhas de rendas
cobertas com os manjares.

E era Natal.
Natal onde não há pobres
porque esses ficam na rua
onde só a mágoa é sua
que o resto... pertence aos nobres.

E é Natal.
Na minha casa e na tua
e o frio fica na rua
e a fome fica lá fora
"Já não há pobres agora"
dizemos com convicção
"ninguém tem fome de pão
que o pão só faz engordar..."

E é Natal...

(Felipa Monteverde)

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O Presépio


Já fiz o meu Presépio. Este ano comprei uma árvore, a que eu tinha era muito pequena e quis uma maiorzinha. Não fui ao monte procurar uma árvore natural porque estava mau tempo.

Para mim o Natal tem de ter Presépio, senão não é Natal.
Não gosto do Pai-Natal no centro das atenções natalícias, é como ser outra pessoa a festejar o nosso próprio aniversário e a receber os parabéns.

O Natal é a festa do aniversário de Jesus, celebra-se o nascimento do Deus-Menino, portanto é a Ele que devemos parabenizar e acolher no nosso coração.

Mas, apesar de colocar o Menino no centro das atenções, também aceito a presença do Pai-Natal, que me empresta o seu saco para colocar presentes.


Assim, ao lado do Presépio coloco sempre um saco vermelho, onde vou guardando os presentes que a familia recebe e que serão abertos na Noite de Consoada, depois da Ceia.

Os presentes que o Pai-Natal traz só serão abertos pelos meus filhos na manhã de Natal, depois de o Pai-Natal os pôr durante a noite nos respectivos sapatinhos...

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

N. S. da Conceição



(Imaculada, Hospitaleira
do própio Deus a Hospedeira;
o que Deus quer, em nós se faça
como em Ti, Cheia de Graça...)

Hoje é o dia de Nossa Senhora da Conceição, Rainha e Padroeira de Portugal.

Esta imagem foi-me oferecida por uma amiga chamada Maria da Conceição. Foi-lhe oferecida num aniversário, mas ela não aprecia imagens e deu-ma (tenho uma pequena colecção de Nossas Senhoras, Santos e Santas).

Lembro-me que, quando eu era mais nova, era neste dia que se festejava o Dia da Mãe. Entretanto essa comemoração mudou para o 1º domingo de Maio, mas nos primeiros anos havia quem festejasse o Dia da Mãe duas vezes no ano.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Aleluia do amor

(Para a música "Hallelujah", by Alexandra Burke)

Eu vi um dia o teu olhar
Ouvi os sinos a tocar
E soube que algo em mim se transformava
Senti-me em paz e suspirei
O amor chegara e eu deixei
Que me envolvesse a alma, Aleluia.

Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluuuuia!

Brilhavam estrelas e a lua
Alumiava a minha rua
Aromas de mil rosas me encantavam
Senti que o mundo era um jardim
O amor nascia para mim
E entrava em minha alma, Aleluia.

Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluuuuia!

E brilha o sol dentro de mim
A minha alma é um jardim
Em que te estendo a mão e é Paraíso
Não é quimera ou ilusão
Ou sonho ou mera confusão
É a minha mão na tua, Aleluia.

Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluuuuia!
Aleluia, Aleluuuuia!

(Felipa Monteverde)

domingo, 6 de dezembro de 2009

Evangelho do dia

1No décimo quinto ano do império de Tibério César, quando Pôncio Pilatos era governador da Judéia, Herodes administrava a Galiléia, seu irmão Filipe, as regiões da lturéia e Traconitide, e Lisânias a Abilene; 2quando Anãs e Caifás eram sumos sacerdotes, foi então que a palavra de Deus foi dirigida a João, o filho de Zacarias, no deserto.

3E ele percorreu toda a região do Jordão, pregando um baptismo de conversão para o perdão dos pecados, 4como está escrito no livro das palavras do profeta Isaías: "Esta é a voz daquele que grita no deserto: 'preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. 5Todo o vale será aterrado, toda a montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão rectas e os caminhos acidentados serão aplainados. 6E todas as pessoas verão a salvação de Deus"'.

Do Evangelho segundo S.Lucas (Lc 3, 1-6)

A Estrela

Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
Na minha vida vazia.

Era uma estrela tão alta!
Era uma estrela tão fria!
Era uma estrela sozinha
Luzindo no fim do dia.

Por que da sua distância
Para a minha companhia
Não baixava aquela estrela?
Por que tão alta luzia?

E ouvi-a na sombra funda
Responder que assim fazia
Para dar uma esperança
Mais triste ao fim do meu dia.

(Manuel Bandeira)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Responso de Santo António


Perdi uma pen-drive, à qual dava muito valor pois tinha nela guardado muito trabalho. Estou desolada e triste, não tenho esperanças de a encontrar pois já procurei em tudo quanto é canto e sítio e ela ainda não apareceu.

Costumo rezar o responso de santo António quando perco coisas que quero recuperar depressa, mas desta vez estou desanimada e não consigo ter fé. Resolvi então escrevê-lo aqui, porque assim vou ao menos rezando mentalmente enquanto o vou escrevendo.

Dizem que Santo António recupera os objectos perdidos e eu própria posso testemunhar isso, já encontrei coisas perdidas depois de rezar o seu responso. Dizem também que devemos rezar sem nos enganarmos nas palavras, para que o objecto seja encontrado, caso contrário pode não o ser.
Será que vai dar resultado? A ver vamos...


RESPONSO DE SANTO ANTÓNIO

Se milagres desejais
Recorrei a Santo António
Vereis fugir o demónio
E as tentações infernais.
Pela sua intercessão
Foge a peste, o erro, a morte
O fraco torna-se forte
E torna-se o enfermo são.
Recupera-se o perdido
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.
Todos os males humanos
Se moderam, se retiram
Digam aqueles que o viram
E digam-no os paduanos.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo
Como era no princípio, agora e sempre, ámen.

Rogai por nós, Bem-aventurado e Santo António,
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

O Natal está a chegar...


Está a chegar o tempo (ou já chegou) do Natal, a quadra natalícia, como soi dizer-se. Ainda não me deixei entranhar pelo lado comercial da coisa (quer dizer, mais ou menos) mas já vou sentindo uma aproximação.
Ainda não preparei a árvore; normalmente só o faço no dia 8 de Dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira e Rainha de Portugal.
A minha árvore de Natal costuma ser um pouco cómica, pois como sou pela preservação da Natureza mas ao mesmo tempo aprecio mais uma árvore de Natal natural do que de plástico, vou ao monte (que fica perto da minha casa) ou vão os meus filhos, e trazemos uma árvore que já esteja cortada.
Algumas pessoas cortam árvores sem repararem bem se serve para o local onde as vão pôr, ou então cortam-nas e depois verificam que são muito feias, com poucas agulhas (estou a falar do pinheiro bravo) ou simplesmente porque cortam e é grande, ou pequena, ou torta, enfim, há quase sempre árvorezinhas cortadas e abandonadas por ali.
E é precisamente uma árvore dessas que trago para casa e enfeito, assim pobrezinha de agulhas e feia de feitio.
Se não encontrarmos uma árvore cortada não trazemos nenhuma. Então enfeito uma pequenina de plástico (tem 1 metro de altura, ou menos) que comprei há tempos por 2€ (juntamente com uma revista). Como é uma árvore pequena coloco-a em cima de uma mesa, na sala.
Para mim o mais importante é o presépio, não é a árvore, por isso serve-me uma qualquer...

O sol aquece

O sol aquece o corpo frio de alguém
abraça o mar e beija a terra
mas esquece a dor de ter a alma fria
e ignorar o amor e o calor
de ter alguém junto do peito aconchegado
essa imensa dor de existir que eu sempre sinto
por saber-te aqui tão perto
e tão distante do meu peito...

(Felipa Monteverde)

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Nostalgia de uma alma

Não sei o sentido de viver
Nas saudades que eu sinto do céu
Só sei que não me assusta morrer
Sabendo que lá estarás mais eu.

Tenho saudades de falar contigo
Tenho vontade de te ver de novo
Perdendo-te perdi todo o sentido
De uma vida onde me demoro...

(Felipa Monteverde)

Com o passar dos anos...

Com o passar dos anos verificamos que certas coisas que nos pareciam anormais e inacreditáveis se nos tornaram realidades indispensáveis.

Do mesmo modo verificamos que certas coisas sem as quais não conseguíamos viver se tornaram simplesmente banalidades...

Para quem tem fé em Deus isso chama-se Evolução Espiritual, Crescimento Interior.

Para quem não tem fé chama-se apenas experiência de vida...

Entra na vida a cantar...

Entra na vida a cantar, será mais fácil enganar o tempo de chorar
E então, se quiseres, saberás sorrir
Basta que cantes a melodia preferida da pessoa que mais amas…