Seja bem-vindo, visitante

Olá, Visitante. Chegou aqui, vindo sei lá de onde, quiçá cansado de tantas caminhadas e descaminhos. Pois bem, sente-se, relaxe e leia algumas destas coisinhas, vai ver que fica melhor... Um abraço da Felipa

domingo, 7 de novembro de 2010

Um poema de São João da Cruz


Este é São João da Cruz,
um grande santo e Doutor da Igreja.
Tinha a ânsia do sofrimento por Cristo.
Carmelita, fundador dos Descalços sob a orientação e protecção de Santa Teresa de Jesus.
Foi também poeta.
Escreveu poemas que exaltam o amor.
Este é um deles e é belíssimo:

Ó Noite que guiaste!
ó Noite amável mais do que a alvorada!
ó Noite que juntaste
Amado com amada,
amada nesse Amado transformada!

No meu peito florido,
que inteiro para ele se guardava,
quedou adormecido
do prazer que eu lhe dava,
e a brisa no alto cedro suspirava.

Da torre a brisa amena,
quando eu a seus cabelos revolvia,
com fina mão serena
a meu colo feria,
e todos meus sentidos suspendia.

Quedei-me e me olvidei,
e o rosto reclinei sobre o do Amado:
tudo cessou, me dei,
deixando meu cuidado
por entre as açucenas olvidado.


4 comentários:

Miguel Afonso disse...

Um belíssimo poema!

Não conhecia este santo...

Folhas do silêncio disse...

Obrigada pela partilha.
Gostei.
Simplesmente maria

Ailime disse...

Felipa,
Também admiro muito S. João da Cruz.
É na verdade divina a forma como na sua sublime poesia se dirige ao Seu, Nosso Senhor.
Grata pela partilha.
Um beijinho.
Ailime

José Eduardo disse...

São João da Cruz, apesar de nõ ter convivido com os Padres do Deserto, tem uma espiritualidade muito semelhante a deles, com certeza deve ter sido muito santamente inspirado por eles... Adorei o podema, euo conhecia na voz da Irmã Kelly Patrícia, hessediana...
Minhas saudações,
Postulante Fr. José Eduardo, oasb
oblatosdesaobento.blogspot.com