Seja bem-vindo, visitante

Olá, Visitante. Chegou aqui, vindo sei lá de onde, quiçá cansado de tantas caminhadas e descaminhos. Pois bem, sente-se, relaxe e leia algumas destas coisinhas, vai ver que fica melhor... Um abraço da Felipa

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Uma malga de água

3º dia do mês das Almas



Ontem assisti à celebração da Missa do dia de Todos-os-Santos, que se realizou, como sempre, no cemitério. Veio um pregador de fora como de costume, para o sermão. E ele começou, precisamente, por falar do sítio onde estava, o cemitério, e das sepulturas.
Nas sepulturas o que lhe chamou a atenção não foram os bonitos arranjos de flores, que havia em todas, mas outra coisa que também havia em todas: uma malga com água.


Disse ele que, quando entrou no campo santo, viu uma malga com água numa sepultura e pensou que era feitio; depois viu outra, e outra, e outra… verificou com surpresa que todas tinham uma malga com água, umas maiores, outras mais pequenas, de diversas formas e feitios. E quando lhe explicaram para que era, ele achou uma ideia muito bonita.


A água da malga, ou tigela, serve para benzer. Quando visitamos uma sepultura, ao chegar molhamos a mão e dizemos mentalmente: “Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo…” enquanto aspergimos a sepultura; depois rezamos umas orações. Na despedida é igual, mas eu digo “Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso…”
Desde sempre vi as malgas com água nas sepulturas. A meio do cemitério tem uma pia, a pia da água benta, onde antigamente o abade benzia a água no dia de Todos-os-Santos, durante a celebração da Santa Missa. Com a chegada de novo pároco deixou-se de fazer a cerimónia de bênção da água da pia, mas as tigelas continuam a ser cheias com água todos os sábados.
Eu pensava que havia isso em todos os cemitérios, mas pelas palavras do pregador parece que não, que é só na minha terra.


O padre pregador salientou as qualidades da água, como símbolo do Baptismo, em cima da sepultura.
“Fomos baptizados em Cristo e a água recorda que fomos revestidos de vestes brancas, que sujamos ao longo da vida e que precisamos lavar, para irmos ter com Deus. Por isso existe o Purgatório, para a purificação da alma, para a lavagem da nossa veste branca. E a malga da água em cima da sepultura significa precisamente isso: iniciamos a nossa vida em Deus com água, através do Baptismo, e terminamos tendo na sepultura a lembrança desse momento em que o sacerdote nos revestiu de vestes brancas; esperando o tempo necessário no Purgatório para que essa veste fique de novo limpa e possamos ver a Deus, que tanto ansiamos. A malga da água dá a certeza dessa ida para Deus, pois se fomos baptizados em Cristo com Ele ressuscitaremos…”
Foram mais ou menos estas as palavras do pregador acerca da água; falou de outras coisas também, foi um bonito e intenso sermão, mas o que disse acerca da água foi o que eu gravei mais no meu
peito, pois tinha andado a manhã toda com este cântico na ideia: “Esta é a geração dos que procuram o Senhor, dos que vestiram túnicas brancas…”

(Depois de publicar esta mensagem recebi em jeito de comentário, de alguém que não se quis identificar, esta explicação. Copio-a para aqui, para uma melhor leitura:

"A água (benta, se possível) junto de uma sepultura recorda-nos que ali se encontra sepultado um cristão!
Acho muito piedoso e caridoso a aspersão dum túmulo com água. Há aí uma relação de fé e a afirmação da ressurreição.
A água do Baptismo lava-nos, regenera-nos e dá-nos a Vida. Se é certo que no Baptismo nos revestem com a veste branca, também é certo que a sujamos. E que a devemos lavar no sacramento da confissão. E por fim o Sangue do Cordeiro derramado gratuitamente por todos nós, é quem há-de lavar-nos e merecer-nos a morada eterna, a comunhão com os Santos, a visão face a face do nosso Deus.")

10 comentários:

RETIRO do ÉDEN disse...

Desconhecia por completo esta prática.
Gostei muito e estou aprendendo muito.
Obga. pela partilha.
«Que as alminhas descansem em Paz na Tua Luz Senhor»
Pai Nosso...
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo,
Ámen.
Abraço carinhoso e agradecido
Mer e família

Fa menor disse...

Nunca vi nem nunca tinha ouvido falar essas malgas de água nas sepulturas. Se calhar é mesmo só na tua terra. Mas aqui com a vinda de um pároco novo para a minha paróquia, já no ano passado se mudaram alguns rituais. Um deles passou a ser a bênção com água benta das sepulturas pelo pároco na romagem ao cemitério no dia de Todos os Santos.
Pela tua explicação, vejo agora que faz todo o sentido.

Saibamos buscar sempre a água pura para lavar as nossas vestes brancas quando as sujamos com os pecados.

Obrigada.

Beijos em Cristo

DE MÃOS DADAS disse...

Que linda partilha.
Também não conhecia esta prática das malgas de água, mas tem sentido.
Obrigada.
E que Deus dê eterno descanso ás almas do Purgatório.
Beijinhos da Utilia

Nova Civilização disse...

Felipa,

bela partilha !

Também não conhecia. Mas faz todo o sentido... Estou aqui a pensar... Caminhando com Cristo vamos nos aproximando cada vez mais da luz, para que possamos nos iluminar, purificar pois Ele é a fonte de água viva,

beijinhos

Gisele

teresa disse...

eu também não conhecia esta práctica das malgas , mas olha hoje no terço li um exemplo , que falava que a agua benta , alivia o sofrimento das almas do purgatório ...
gostei muita da tua partilha ...

´´meu jesus pelos méritos das vossas santas chagas perdão e misericórdia ´´ ...

beijo ..

Felipa disse...

Queridas amigas, obrigada pelos comentários; então quer dizer que é mesmo só aqui que há as malgas da água? Interessante... perguntei a várias pessoas se sabem como começou este costume mas ninguém sabe, é uma coisa que já vem de há muito tempo.
Gostei muito da explicação que o pregador deu acerca da água, acho que faz todo o sentido e agora será com mais gosto que aspergirei as sepulturas que visitar, no cemitério.

Um grande beijinho para todas

Dai-lhes, Senhor, o eterno descanso...

teresa disse...

miga olha juntaram-se mais duas amigas á caminhada que grande alegria , graças a deus ..
olha ficou o blog - folhas de silencio para o dia 11 ..
e a maluzinha do blog a capela para o dia 12 ..

como tu mesma disseste vamos rezar muito para salvar muitas almas do purgatório ...

beijos ,,..

Ailime disse...

Amiga Felipa,
Também confesso que desconhecia a prática de colocar uma malga com água em cima das sepulturas.
Como as nossas amigas acima disseram faz todo o sentido, pois se pelo Baptismo fomos limpos do pecado original, a água como agente purificador terá nesse gesto feito com amor como que a continuação da Purificação das almas até ao encontro definitivo "face a face" com Deus.
Grata pela sua partilha que contém ensinamentos profundos sobre este tema (que não é fácil).
Um beijinho e continuemos a orar pelas Almas do Purgatório.
Ailime

Anónimo disse...

Olá!
A água (benta, se possível) junto de uma sepultura recorda-nos que ali se encontra sepultado um cristão!
Acho muito piedoso e caridoso a aspersão dum túmulo com água. Há aí uma relação de fé e a afirmação da ressurreição.
A água do Baptismo lava-nos, regenera-nos e dá-nos a Vida. Se é certo que no Baptismo nos revestem com a veste branca, também é certo que a sujamos. E que a devemos lavar no sacramento da confissão. E por fim o Sangue do Cordeiro derramado gratuitamente por todos nós, é quem há-de lavar-nos e merecer-nos a morada eterna, a comunhão com os Santos, a visão face a face do nosso Deus.

Felipa disse...

Agradeço ao Anónimo que deu esta explicação, muito obrigada, faz todo o sentido.